Novas e actividades

Encontro-Conversa com Germano Almeida e Luís Cardoso

Nas últimas semanas um grupo de pessoas anda a ler a grande velocidade. No entano, ainda nenhuma delas foi apanhada pela polícia. Está por apurar se a lassidão das forças da ordem é devida a na origem da contravenção estar a iminente visita dos autores dos livros, o que a tornaria completamente compreensível.

Na quarta-feira 27 de março, pelas 19h00 e na Biblioteca, Germano Almeida e Luís Cardoso honram a nossa escola com a sua presença. Vamos primeiro ouvi-los falar de como se tornaram grandes contadores de histórias, e de tudo aquilo que @s velozes leitoras e leitores pensaram para lhes puxar mais da língua.

Apresentação do filme Tecido Resistente

 

Sem que muitos de nós saibamos ao certo o que quer dizer, a palavra empoderamento aparece cada vez com mais frequência nas conversas em que participamos e nas notícias que consumimos. Vamos então ver um filme que vai procurar exemplos menos recentes do que isso supõe. Intitula-se Tecido Resistente e foi filmado a falar com mulheres de Vila Santar, um concelho tão próximo quanto desconhecido para a maioria de nós.

Vamos ter a ocasião de ouvir a apresentação da boca de Marina Chiavegatto, a própria realizadora que, com nome quase italiano, nasceu no Brasil, cresceu em Portugal, e há anos de vive e trabalha na Galiza na área do jornalismo escrito e audiovisual, e no documentário. No fim, teremos ocasião de fazer perguntas e trocar ideias sobre este tecido, que é resistente.

Conferência: Representatividade e combate ao racismo

O racismo tem pouco espaço nas discussões sobre a sociedade portuguesa atual. No entanto, periodicamente aparecen notícias que confirmam a existência e pervivência do problema. Para percebemos melhor as dimensões e as direções que a questão pode tomar no futuro, na terça-feira 11 de dezembro, pelas 19h00, recebemos na escola Carla Fernandes.

Carla nasceu em Angola e cresceu em Portugal. Formou-se em Estudos de Tradução e foi para a Alemanha, trabalhando no departamento de Português para África da Radio Deutsche Welle. De volta a Portugal, fez mestrado em Comunicação, Cultura e Tecnologia da Informação, e trabalha como jornalista, produtora de rádio freelance e blogueira. Criou o audioblogue “Radio AfroLis”, onde aborda questões relacionadas com comunidades afrodescendentes que vivem em Lisboa, e é presidente da associação (Afrolis) com o mesmo objetivo.

 

Conferência: Em defesa de uma floresta diversa e resiliente

Durantes os últimos meses a floresta tem-se tornado uma presença constante na atualidade jornalística, política e social. Tod@s nós temos relação, direta ou indireta, com a floresta, por isso torna-se necessário compreendermos as razões por que ela é tão importante e criarmos uma opinião sobre as decisões que estão a ser tomadas.

Para nos ajudar nesse processo visita a escola a Professora Helena Freitas, cujo percurso tem estado sempre ligado muito de perto às questões ecológicas e ambientais. É licenciada em biologia pela Universidade de Coimbra, e posteriormente fez doutoramento em ecologia na Alemanha, e ainda um pós-doutoramento na Universidade de Stanford, nos EUA. De regresso a Portugal, presidiu à Liga para a Proteção da Natureza durante três anos, e foi diretora do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Desempenhou o cargo de vice-reitora da Univ. de Coimbra até ser eleita deputada, em 2015. Interrompeu o mandato para coordenar a Unidade de Missão para a Valorização do Interior, o que fez até julho de 2017.

Vamos ouvi-la, e depois falar com ela, na terça-feira 8 de maio, pelas 19h00, no auditório da EOI.

DoccLusaGarcia 2018 Ciclo de Cinema

O que têm em comum o kitesurf e as plantações de eucaliptos? Há alguma relação entre o triatlo e uma aldeia de Bragança? Sim, que todos cabem no DoccLusaGarcia. De 12 a 15 de março vamos outra vez dar uma volta pelo mundo que fala português através de documentários feitos com licença creative commons.

Quem não puder assistir, poderá ver os filmes a partir desta mesma página. Só não poderá votar pelo melhor.

Filmes da primeira sessão:

Surfin sem fim, de Bruna Arcangelo, Brasil, 2017.

Sereias, de Tibico Brasil, Brasil, 2016.

Filmes da segunda sessão:

Precisamos Falar com os Homens, de Ian Leite e Luiza de Castro, Brasil, 2017.

Sessão de contos com Cristina Taquelim

Dezembro é o mês com mais dias marcados em vermelho do calendário. Pois bem, toca a acrescentar mais um: 12 de dezembro, dia transnacional da narração oral.

Nesse dia visita-nos Cristina Taquelim, grande contadora de histórias. Vai ser pelas 20h00 na biblioteca da EOI. Portanto, vamos tod@s comemorar!

Quem quiser conhecê-la um bocadinho mais, pode ouvi-la a falar do seu trabalho aqui.

Conferência Habitação e Turismo em Tempos de Crise

Na próxima quarta 22 de novembro vamos conversar sobre as cidades. Mais exatamente sobre o que tem acontecido e (parece que) vai acontecer em algumas cidades por causa do turismo e das novas formas que este adotou.

Vai ser no auditório da EOI, às 18h30, e o convidado é Iago Lestegás (Lugo, 1987), arquiteto autor de uma tese de doutoramento sobre os efeitos do turismo no centro histórico de Lisboa. Esse caso vai centrar muito a nossa atenção, mas também vamos pôr o foco noutros cenários ainda mais próximos.

Encontro/conversa com Tiago Alves Costa

Todos nós pensamos em Portugal (quase) diariamente, mas o comum dos mortais costuma pensar em Portugal quando chega o mês em que agora estamos. Para nós, e para o comum dos mortais, na segunda-feira 24 de abril pelas 20h00 vamos trazer um bocado de Portugal, outro bocado de poesia, e ainda outro de improviso à nossa escola.

Será num encontro, que se quer tornar uma conversa, com o poeta Tiago Alves Costa, para falarmos sobre a obra (mais recente) dele, sobre a experiência dum português que mora connosco, e de tudo e mais alguma coisa. O ponto de encontro é o auditório da EOI.

DoccLusaGarcia 2017 Ciclo de Cinema Documentário

Começa a sexta edição do Ciclo de Cinema Documentário DoccLusaGarcia. É já no dia 30 de março, às 20h00 no auditório da EOI. A sessão de abertura vai ter como eixo central, pela primeira vez, não um tema mas as produções do canal independente brasileiro O Cubo.

O ciclo vai ter continuidade na terça 4 de abril, às 18h30, com uma sessão composta de dois filmes sobre os efeitos do turismo nos bairros tradicionais de Lisboa.

A sessão de encerramento decorrerá na quarta-feira 5 de abril, às 17h00, com outra sessão tripla dedicada ao Roteiro Oficinal do Porto, um projeto sobre as profissões tradicionais na atualidade.

Como em anos anteriores, todos os filmes têm licenças Creative Commons e o programa poderá ser acompanhado de casa através desta mesma ligação.

Filmes da primeira sessão:

Apresentação de A Fronteira Será Escrita

Está terminado o terceiro projeto dos Filmes de Bonaval, A Fronteira será Escrita. Agora quer mostrar-se ao mundo e na próxima quarta-feira, dia 22 de fevereiro, vamos apresentá-lo no auditório da Escola. Será pelas 18h00 e quem no-lo traz é um dos seus realizadores, João Aveledo.

Gravado em diferentes aldeias dos concelhos galegos de Entrimo e Lóvios, o filme reflete (sobre) a idendidade cultural e linguística nos territórios raianos, sobre se existe(m) a(s) fronteira(s) e que papel tem a escrita na sua configuração.

Grandes curiosos das questões relacionadas com a língua galego-portuguesa e as suas fronteiras, João Aveledo, Vanessa Vilaverde e Eduardo Maragoto, aliás Filmes de Bonaval, são também autores de Entre Línguas (2010) e Em Companhia da Morte (2011), que também foram apresentados na nossa escola.

Distribuir contido